Que marcas te representam?

Estava numa roda de amigas falando sobre amenidades e eu lancei essa mesma pergunta a elas. O engraçado foi que elas conseguiram falar das marcas preferidas, descreveram alguns produtos e seus benefícios, compararam com outros produtos, mas não conseguiram responder à minha pergunta. E sabe por quê? Porque é mais difícil do que imaginamos.



Pra uma marca me representar ela deve falar diretamente comigo. Uma mulher madura, com gosto mais apurado, devido às experiências vividas, que já sabe o que quer (ou pelo menos o que não quer. E isso já significa muito!), que é responsável pela sua decisão de compra (e muitas vezes pela do parceiro e de toda a família), com poder aquisitivo suficiente para não só influenciar, como comprar. E o melhor de tudo, pra ser fidelizada pela marca, se essa atender às suas necessidades.


Sim, eu dou preferência a produtos que atendam às minhas necessidades. Ainda que sejam um pouco mais caros que a média, eu invisto neles. Quem no auge da sua juventude está falando em “investir” em produtos quando se refere a comprar produtos? Investimento requer retorno! E a última coisa que as gerações mais jovens estão pensando é nisso. Elas querem usar o que todo mundo está usando. O que está na moda. E pagar barato por isso, pois a grana é curta.


Na meia idade o papo é outro. Como posso comprar roupas em marcas que tem garotas propaganda de 20 anos? Meu corpo não é mais o mesmo há muito tempo! Meus filhos que tanto amo e me orgulho deixaram as suas marcas em mim e não tem nada de errado com isso. Mais do que um corpo bonito e sarado, hoje eu priorizo um corpo saudável, que possa suportar “o peso” que a idade traz com ela. Mas nem por isso a vontade de me sentir bem dentro desse corpo deixa de existir. Ela está aqui o tempo inteiro. Aliás, a forma que nos vestimos é a forma que nos comunicamos sem precisarmos abrir a boca. Por isso, mais do que seguir padrões de moda, o vestir está associado à minha essência.


Imagina eu usando umas das lingeries que as maravilhosas “Angels” da Victoria´s Secret usam? Tive uma crise de riso só de imaginar! É claro que existem mulheres com corpos deslumbrantes na minha idade e até mais velhas e eu tenho amigas com corpos esculturais, mas, via de regra, a meia idade nos traz “largura e profundidade” (nos 2 sentidos: figurado e literal).


E as marcas de expressão encravadas na minha pele? Cada uma tem uma história e, como elas amam andar em grupo, a cada dia que passa, elas só aumentam. Sem falar na lei da gravidade. Se pudesse diria à ela: se não quiser ajudar, não me atrapalhe!!! Em modelos na flor da idade qualquer maquiagem fica perfeita. Mas como escolher uma marca que entenda todas essas mudanças e tenha uma seleção de produtos que valorizem o meu rosto com todas essas mudanças? Quem são as embaixadoras dessas marcas? Elas têm os mesmos sinais da idade que eu tenho? E os produtos, dão resultado positivo na pele delas?


Estou tentando escrever de uma forma leve e divertida, mas a verdade é que pouquíssimas marcas despertaram para essa fatia de mercado onde estamos inseridas. Enquanto isso, ficamos tentando nos encaixar nos padrões que não são nossos. Dando desculpas pra nós mesmas que nas últimas semanas ganhamos uns quilinhos extras porque não tivemos tempo de malhar ou porque exageramos na comida, mas que na semana seguinte aquela roupa cairá como uma luva!


Queremos marcas que traduzam essa nova mulher que estamos nos tornando (sim, porque estamos em constante construção). Cheias de vida, disposição, planos, curiosidade, tesão, vontade de aprender e de produzir. O estereótipo ficou pra trás. O que nos define não é a nossa idade e sim a nossa atitude!


Créditos:

Foto: StockSnap por Pixabay